logo

04/07/2019

Em 2017, seis brasileiros morreram a cada hora em decorrência de eventos adversos graves, ou seja, erros ou falhas assistenciais ou processuais, infecção hospitalar entre outras ocorrências que poderiam, em sua maioria, ser evitadas. Para entender melhor esse cenário e o que pode ser feito para mudá-lo, conversamos com o Dr. Renato Couto, professor da Pós-graduação da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais (UFMG), diretor do IAG Saúde e responsável técnico pelo Anuário. Leia a íntegra em nosso blog.

Voltar